Pesquisar neste blog

Origem das Visitas

AROLDO FILHO

https://www.facebook.com/DelfosJornal GRUPO AROLDO FILHO NO FACEBOOK

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O GOLPE DA ANTOLOGIA


Editora GRAFISSET. 

Pauinho Dhi Andrade, nome real: Paulo César Bomfim.

Enganou 38 poetas da comunidade NOP-Nova Ordem da Poesia, no Orkut.
Ele também era moderador dessa comunidade e da comunidade BAR DO ESCRITOR, também do Orkut.



O GOLPE DA ANTOLOGIA

continua tudo tão atual
estamos na mesma nau
esperando o devido real 
voltar para o bolso do dono

antologia em abandono
organizador se fazendo de vítima
já assisti essa fita ilegítima
conta logarítima sem fim

Hum, Paulo Bonfim
continua na apropriação indébita
com débito que sempre aniversaria
Talvez você ria

a quem caberia mudar
essa tragédia banal?
Não sou seu rival
Apenas credor

e esse valor
eu como é de sal
porém, não tenho filho barbado
Pra ser contemplado com pensão

em compensação 
ainda ganho ameaça
tamanha trapaça
e cara de pau

Nesse ritual
de pedir a bênção
que na capoeira é um golpe letal
eu não comungo

quem se encosta em fungo
só pega doença
e constipação
ou algum outro mal

Mentira é a coisa que mais detesto
Se me manifesto é por esse motivo
não sou seu cativo
então, contas eu presto

Se eu gostasse de sustentar vagabundo
dava meu dinheiro aos presidiários
nada solitários nem maravilhosos
merecem que sejamos solidários?

Ou seriam fatos jocosos?
em resumo diário
se quer ganhar salário
que vá trabalhar

é seu dever se calar
pagar o que deve
como se atreve a argumentar?
ainda vai comentar minha poesia no bar

pensa que esqueci?
não lembra que também sofri
com todo esse engodo
foi tudo um jogo

todos somos seus bobos
esperamos sentados
Por outro lado
Desiludi

No conto do vigário caí
fiz essa trova
por que nada prova
que fará o que diz

Diante do meu nariz
isso serve de lição
não confiar ao falcão
preciosa perdiz

tudo que eu quis
foi produzir um livro
paixão de que vivo 
nesse país

não quero bis
de toda a larápia
nem das garras de harpia
Eu sei, você chia

Pra disfarçar até pia
fingindo agonia
mas sabe voar
e bem enganar

aquém quem faz poesia
cria fantasia, promessas perfeitas
às pressas, mau-feitas, 
pura profecia

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
HISTORIADOR/Presidente do Jornal Delfos-CE/Professor/Jornalista Independente/Blogueiro
25/11/2012


terça-feira, 27 de novembro de 2012

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O MACIÇO DE BATURITÉ PRECISA DE MAIOR POLICIAMENTO URGENTE




O MACIÇO DE BATURITÉ PRECISA DE MAIOR POLICIAMENTO URGENTE

O maciço de Baturité precisa urgentemente de reforço policial por que do modo que vem ocorrendo tantos assaltos, a tendência é a situação piorar.Quanto mais o bandido encontrar facilidade de assaltar e fugir ileso mais a bandidagem vai continuar aumentando.

Parece que os nossos governantes estão mortos; por que não tomam nenhuma atitude!
Até quando essa situação absurda vai continuar?  Assassinato, assalto, roubo de moto, incêndios de carro e florestais, até quando os governantes vão ficar sem fazer nada?

A violência vai virando banal. Como numa marchinha de carnaval, todo mundo dança e finge que tudo vai às mil maravilhas. Precisamos de maior reforço policial se quisermos que o caos não aumente.

Mais policiamento agora! Não podemos deixar que a bandidagem tome conta da nossa terra!

AROLDO FILHO
O HISTORIADOR DE PACOTI
21/11/2012

VÉRITÉ


ILLUSION LIBÉRATRICE


ILLUSION LIBÉRATRICE

Personne n'est libre
Rien n'est gratuit, ou ne pas exister
Qu'il existe déjà une prison

Il ya toujours quelque chose qui nous nous appuyons sur les mêmes instincts, les facteurs environnementaux, les processus physiques, chimiques et biologiques pour nous dominer
Ce n'est pas, en fait, être libre.

Le plus proche serait une liberté de pensée sans domaine, essayez d'accéder à différentes cultures pour être en mesure de passer à un mode autonome, le plus possible independete. Rien de plus que cela.

Dites libre n'est pas d'avoir la liberté, car elle est la plus belle allégorie de la caverne de Platon. En fait, l'univers est imparfait, et nous, les enfants de tout cela imperfection qui gereou cette évolution prodigieuse des espèces. Quoi qu'il en soit le début de tout ce que dit, le fait est que tout est sujet à l'autre, et il enlève la liberté. Par conséquent, rien n'est gratuit pourquoi c'est toujours l'autre gars.

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
19/11/2012

LADRÃO DE ALMAS

Ladrão de almas


Tire de mim o que sou,
faça de mim tua alma,
busque meu ser, meu som,
mas enquanto puder respirar,
terei sempre o que restou,
serei vivo e serei louco.

Me normalize,
porém nunca lhe direi que desisti.
Falsas palavras não condizem ao meu pensar,
serei sempre pensamento a lutar livre.

Digo:
Tua ideia de revolução,
tua farsa, essa mentira,
tua força é ilusão.
Não me peça por ajuda,
pois ainda estou lúcido.
Faça de mim algo que é teu,
mas não me terás realmente.
Oh, sociedade demente...
Não enxergas em teu fim tamanho breu?

Agora me refiro a ti, ladrão de almas,
nunca contei contigo pra existir,
mesmo eu sendo tão comum...
Passei por minhas dores,
tu conheces nada delas.

Ainda assim, diferente de mim,
tu precisas de quem cativas...
Enquanto somos indivíduos que se amam,
tu não retribui aos grupos que te adoram.

Oh, ladrão de almas...
És mais escravo do que aqueles que te seguem.

Eu posso viver com o que sou,
podes dizer o mesmo de si?
Somos irmãos, mas tu me ordenas.
Somos grãos em grande mar de areia.

Eu não pretendo te dizer o que fazer,
não pretendo liderar, ganhar, nem mesmo falar...
Embora esteja em nossa natureza,
minhas frases fiz à mim,
os que as ouvem às sintonizaram,
mas os que não captam o sinal,
esses estão certos de suas próprias formas.
Já você pretende trocar sinais por grandes cabos,
ou deveria dizer, correntes e cordas...

Eu não vou mudar o rádio de ninguém!
Existem os que me ouvem, existem os que passam a ouvir,
mas eu não obrigarei aqueles que não conhecem e não querem conhecer.
Somos todos livres a buscar algum saber...
Já você, ladrão de almas, por não nos reconhecer,
deseja a vitória por meio da enganação.

Certos seres desejam só sabedoria,
outros, poder sobre a maioria.
Não te quero, não te apoio,
até que me entenda,
tua alma é tão pequena,
oh... Ladrão de almas.

O Rei Poeta

sábado, 17 de novembro de 2012

CUBO MÁGICO AUTOMÁTICO



CUBO MÁGICO AUTOMÁTICO

Nem todas as configurações artificiais ou em processo de evolução natural podem co-existir, uma vez que possuem os mesmos elementos substanciais em sua estrutura subatômica, logo, a afirmação de uma configuração pode ser a negação de outra, como no caso do CO3 e CO3 que não convivem juntos e, por esse motivos, o carbono desfaz o ozônio, um dos motivos do aquecimento-global, então, o bem como afirmação da configuração precisa do mal como desconfigurador de partículas, já que a reestruturação carece disso e sem ela tudo deve parar, teoricamente falando como se acreditássemos no big-bang ou apenas cogitando a possibilidade de algo semelhante no processo que as correntes pensantes chamava erroneamente, talvez, de "princípio".

Ao que tudo indica, o universo é um cubo-mágico em que um quadrado sempre empurra o outro. O big-bang pode não ter existido e sim esses quadrados que se movem, cada um dele, quem sabe, seja um universo, logo; se o efeito-dopler prova o nosso universo em expansão e se Stephen Holking estiver correto quanto aos buracos-negros rumo as multi-versos como passagens de pressão, um universo crescer é obrigatoriamente encolher outro ou partes de muitos nesse cubo-mágico automático, teórico, pois não posso provar nem visualizá-lo, e automático que conhecemos por natureza.

Usando aqui a expressão de Carl Sagan, o "fazedor de bolhas", que ele propõe não existir como um ser místico, pode, em vez disso, ser a própria imperfeição do cubo-mágico, quem sabe, falte nele um preenchimento de matéria denominado vácuo, que nunca será preenchido e, de repente, seja isso que cause a pressão suficiente para que tudo não pare de rodar. Uma especulação aqui importante, e quase tão forte quanto a certeza que tenho de minha futura morte, é que, de fato, não existe "princípio" nem "fim", apenas meio.

O grande problema por trás dessa teoria é que todo o nosso universo estaria sempre se movendo por inteiro e não apenas internamente, não passando de uma ínfima parte que incha como um balão apenas como fator de ligação numa mudança aparente, em sentido macrocósmico, e ilusório, num sentido super-macrocósmico, pois mesmo juntando todos os multi-versos num só ele seria ainda um cubo-mágico mecânico que giraria mesmo completamente reconfigurado.

O super-universo voltaria depois a ser reduzido, porém, sem deixar de ser o mesmo cubo-mágico mecânico movido à pressão numa rotatória intensa com ou sem big-bang. Todavia, o big-bang talvez seja só a convergência desse fluxo entre universos que por sua vez são estruturas subatômicas do cubo, ou talvez seja mais apropriado se empregar o termo seguinte: estrutura subunivérsica da equação matemática desses fluxos de massas físicas e químicas do qual a biologia, talvez, não seja mero acaso.

De repente, os ufólogos possam estar certos quanto à vida extra-terrena, embora não no nosso universo, mas em alguma parte do cubo-mecânico, que talvez, até, nem seja, de fato, um cubo, contudo, a pressão é um fato e não fugi, mesmo que essa minha teoria seja ridícula e improvável, à Lei de Lavoisier; única verdade absoluta em que acredito sem pestanejar.

Meu infortúnio é não conhecer mente à sua altura para poder convencer-me de minhas próprias teorias ou abandoná-las sem receio ou culpa para deixar de ser um questionador e ser alguém realmente sábio ao invés de racional, aprendendo a ser guiado pela visão de fato que eu talvez alcance, podendo assim, engatinhar rumo ao que de fato existe em vez de perder-me em abstrações científico-filosóficas, o que me tornaria capaz de desvendar as outras verdadeiras leis naturais e, desse modo, compreender de fato que espécie de estrato sou nessa fábrica-insumo chamada natureza, uma esteira que transfigura a si mesma de forma aparente na qual sou um mero fator dentre tantos fatores-reagentes.

Uma outra dificuldade, agora de fator cosmológico e quântico é que o cubo é uma figura em 3d e nisso, todas as outras dimensões para cima e para baixo não passariam de mera abstração não aplicáveis à natureza real, porém, um dos fatores que confirma que somos cegos é justamente que vemos em 2d para criarmos o 3d real na nossa mente, então, ainda não contentes com isso, não ver o 3d, imaginamos 4d e 5d, além de infinidades positivas e negativas, falando-se em escala matemática de grandeza, quando todo o problema por trás da nossa má-razão é provar a finitude numérica dos elementos e espaços dado à gama de fatores co-existentes.

Com isso, não conseguimos ser moderados e por isso, perdemos a coerência, fazendo do próprio pensamento, seja ele filósofo, científico, religioso ou a completa fusão dos três em harmonia forçada e ligeiramente aparente, uma dízima periódica sem fim, sem chegarmos a conclusão alguma. Para ponderar é necessário raciocínio, esforço conjunto com esse propósito, não fazendo da verdade uma incógnita.

Será que algum dia, enquanto na Terra houver vida, alguém chegará lá? Sei que muito provavelmente não serei eu nem talvez alguém neste milênio. O que me preocupa é a questão: Estou contribuindo para isso ou atrapalhando com as idéias que componho guiado pela minha ideologia daquilo que entendo como verdade?

Gostaria de ser um batente a mais e não um muro no caminho, como a Igreja fez com a medicina, o iluminismo com a França durante a Revolução francesa ou pior ainda; como todos os povos etnocentristas destrutivos dos ditos "bárbaros", como: espanhóis,portugueses e romanos.

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
PRESIDENTE DO JORNAL DELFOS

MESTRE DOS MAGOS


MESTRE DOS MAGOS

Se você conhece o desenho "Caverna do Dragão" e é fã sem dúvida já se perguntou por que este desenho não tem fim. Uma indagação que passa despercebida pelos telespectadores é: "como se chama o Mestre dos Magos?".


Por isso estou produzindo este texto que é uma pequena análise de alguns elementos do desenho. Descobri há pouco o verdadeiro nome do Mestre dos Magos e que ele não tem anda a ver com o suposto último capítulo que alguns dizem existir nos EUA. Ele é um deus bom com o poder de ressurreição.

Antes de tudo é preciso esclarecer o mundo fantástico onde os 5 jovens se encontram não é o Inferno católico, nem o unicórnio de Bobby, uni, é um pequeno demônio.

O Mestre dos Magos não é mau nem o Vingador é bom, como dizem que apareceu no filme. Na verdade, nem sabemos se o tal filme existe, mas este não é o caso afinal.

O mundo terrível é apenas o mundo que existe na mente dos religiosos, cheio de monstros e outros seres supernaturais da imaginação mística. É como uma viagem ao mundo da Idade Média e Antiga. Os seres que ali se encontram são justamente dessas épocas, de diversos povos, dentre eles gregos, celtas, persas e chineses.

PRIMEIRO VAMOS AOS GREGOS

• Há no desenho um dragão de duas cabeças= Alegoria da Hidra


Diana= Deusa da caça e rainha das amazonas


• Zandora= Aparece como bruxa mas é semelhante a Pandora, a primeira mulher para os gregos antigos.


PERSAS

Tiamat= Deusa que pariu os outros deuses. Deusa dragão Criadora do mundo para os Persas, Babilônios e Sumérios.

CHINESES

Dragões dourados= Realizam desejos e têm o poder de voar, para os chineses, sendo portadores de grandes tesouros no fundo do mar ou em alguma caverna. São bons.
• Dragões negros= São ruins e moram no subsolo. Quando incomodados criam tempestades e terremotos, pois são os senhores do clima e tempo meteorológicos.

CELTAS

Cavalo do vingador= Sleipnir, o cavalo negro que Loki deu para Odin. O original teria 8 patas.


Sheila= Morgana, maga irmã do rei Artur.


Presto= Um aprendiz de druida, talvez inspirado na figura de Merlin.


Curiosidade: para os vikings os druidas não eram profissionais e sim circunstanciais, recebendo o nome de godis. Os godis eram especialistas em artes divinas das runas, símbolos do alfabeto germânico. Talvez as palavras God e good sejam derivadas de godi.


Bobby= Inspirado no povo nórdico, para quem os chifres representavam força, violência e virilidade. Sua coragem e seu bastão que estremece tudo lembra o deus do trovão, Thor.


Eric= O cavaleiro covarde tem o nome do herói do período arturiano que hoje se conhece como São Jorge. Trata-se do guerreiro chamado Siegfried, mais conhecido como Sigurd, o matador de dragões, que era chamado de Éric pelo anão Regin que o criou depois da morte de seu verdadeiro pai, Sigmund, ser morto por Odin, seu avô. A Éric é dada a honra de ser Mestre dos Magos por um dia, quando este enfrenta o Vingador para que seus amigos possam voltar pra casa através do portal que ele abre. Uma outra semelhança com Sigurd é o amuleto que Éric usa que o transforma em homem-sapo, pois Sigurd tinha um amuleto que o transformava em que ele desejar.


• Mestre dos Magos= Dagda, um deus bom com o poder de matar 9 homens de uma só vez com um lado de seu bastão e ressuscitar os mortos com a outra. Representante supremo dos sacerdotes (druidas, sacerdotisas e godis). Senhor da magia e sabedoria. Em seu caldeirão nunca falta comida e ele nunca deixa um viajante com fome.


SINCRETISMO

Uni= Unicórnio é um animal sagrado para gregos e celtas, e para os chineses é um dos criadores do mundo.



Vingador= Vampiro, anjo da morte, mago. É representante do catolicismo, por isso é o personagem mais odiado. Ele dá uma dica de que está no passado por que captura um soldado na época do nazismo para alterar a História e fazer a Alemanha vencedora, um forte indício, pois a Igreja se aliou ao nazismo na 2ª. Grande Guerra.

Armas= o Vingador querer as armas significa a cultura roubada de outros povos para no fim persuadi-los, como aconteceu, por exemplo, com as armas que os celtas venderam para Roma e foram por elas vencidos.


A irmã do Vingador= Separação entre a Igreja Católica e Anglicana. Portanto, de certa forma, o Vingador representa os eclesiásticos da Igreja, lembrando que houve papa que até já comandou tropas de guerra. O castelo onde os dois brigam simboliza a antiga Igreja antes da separação.


Curiosidade: O vingador é muito grande em relação ao Mestre dos Magos. Talvez seja para compará-lo aos antigos gigantes, inimigos dos deuses celtas, gregos e até hinduístas. Pois até no Hinduísmo a relatos de deuses versus gigantes, como exemplo, Rama, um avatar de Vishnu, que vence o gigante Ravana, de 10 cabeças, com uma flechada no umbigo.


Hank= O líder loiro lembra ao mesmo tempo Apolo, e deus grego do sol e das belas-artes que antes era apenas o patrono dos arqueiros, e os elfos celtas, por que o arco é sua principal arma.


CATOLICISMO

Mestre do Vingador= Certa vez o Mestre dos Magos diz que o bem e o mal são a mesma energia, que um pode ser convertido no outro e nisso, transforma a energia ruim do Vingador m boa e a joga de volta. Mas se um é bom e o outro mau por que se unem? Aparece um monstro que abre as nuvens mostrando apenas um olho, quando o Vingador olha para cima e diz: "―Não, Mestre, eu não falhei!". Dois segundos para você adivinhar quem é o "Mestre". O mestre do Vingador é Deus, não pode ser outro, por isso todos fogem juntos, uma vez que ele é o pior monstro de todos e mata sem pena. É uma crítica clara ao poder sanguinário da Igreja que se voltou várias vezes contra seus próprios fies, como na perseguição a Lutero, aos cátaros (Concílio de Latrão) e aos judeus, o povo que deu origem ao cristianismo.

• Demônio das Sombras= Lembremos que Lúcifer era um anjo, no cristianismo, e assim como Hades, o deus grego do submundo ou tártaro, quis tomar o lugar do chefe e foi expulso, ganhando um reino próprio, lugar este que nos é ensinado com o nome de Inferno. Mas, na "Caverna do Dragão" não há Inferno nem Céu, logo, os demônios estão no mesmo mundo dos mortais e deuses. Então, o Demônio das Sombras é o Demônio cristão que foi agora subordinado ao Vingador, pois, no fim, ambos continuam seguindo o mesmo mestre.

ATEU POETA, O HISTORIADOR DE PACOTI

CORRENTE CAVERNA


CORRENTE-CAVERNA

Sou um pensador, mas não livre, nem pretendo ser. Tenho consciência do meu cárcere, porém, isso não me liberta. Estou acorrentado à cultura como os outros sujeitos na caverna de Platão.
Ser um ermitão dá um pouco de liberdade humana mas não física.

Se eu fosse livre não seria físico, químico nem biológico, talvez morasse nas idéias iluminares de outro pensador. Sei que sou cego, assim como toda a humanidade. Tal qual o resto, não sei nem o que é um átomo de luz, apenas creio na Lei de Lavoisier. Cortaram-lhe a cabeça, que pena!

Talvez nunca antes ou depois na História tenha-se visto uma mente mais brilhante que a dele. Não creio em gênio, sou radical e vejo os podres da elite com desprezo, mas tudo o que eu mais queria era ter conhecido esse aristocrata cobrador de impostos.

Desejo ver os pensadores do Brasil ter sucesso, principalmente os do Ceará. Ainda não gosto de português, ainda mais depois da reforma-ortográfica, todavia, um antagonismo em mim faz-me admirá-los, pensava outrora que nunca diria isso, primeiro por que os lusitanos no século II a.C., governados por Viriato, resistem à Roma.

Segundo, pelo simples fato de serem celtas, posso sentir orgulho disso por que admiro esse povo de muita força, coragem e sabedoria. Mesmo que a maior parte deles aqui fossem a escória e apesar de terem dizimado os ditos "índios" num continente a que chamou-se América, povo do qual também tenho orgulho de descender, principalmente dos ditos "tapuias", da guerra dos bárbaros; ser descendente de português me faz sentir um celta, não poderia jamais gozar de maior alegria e orgulho de mim mesmo.

Conhecimento esse adquirido graças a Pedro Bandeira, a quem admiro três vezes; pelo artigo "Asterix existiu e era português", pelo livro "Feiurinha" e pela palestra que assisti antes de saber de quem se tratava o palestrante.

E terceiro, por que um grande pensador atual chamado António Damásio, neuro-cientista ateu, e primeiro português de fato que admirei pela inteligência, depois de lê-lo as piadas de português perderam a graça e passei a ter orgulho de descender do mesmo povo que gerou mente tão brilhante.

O tempo poderia ser dividido entre antes e depois de Damásio; ele ajudou-me a entender um pouco mais de como o cérebro funciona e como provar que o sentido gerou sentimento e esse a razão, idéia que já vinha desenvolvendo antes de conhecê-lo mas não tinha instrumentos físicos da medicina para provar, fez mais que isso, provou ainda que razão não existe sem sentimentos e diferencio este de emoção.

Damásio é o sujeito que eu chamaria de "gênio", embora pra mim esse tenha sido o maior defeito do positivismo de Augusto Comte, a idéia de que existem "gênios" inalcançáveis, não creio nisso, contudo, esse português me faz pensar melhor a esse respeito. Esse português é a mente de hoje.

Se Aristóteles foi "O FILÓSOFO", Damásio é O CIENTISTA. Desbancar Descartes de forma tão racional e ao mesmo tempo compreensível a todos, incluindo a mim, não é pra qualquer um.
Sentir-me um celta faz-me aproximar mais ainda de Darwin, pensador que procurei quando senti o real vazio da existência: não ter idéias.

Outros britânicos que admiro muito, são: Dr. Nigel Spivey, historiador ateu que se aprofunda nas razões pelas quais a arte domina e molda o mundo física e intelectualmente; e Terry Jones, País de Gales, antropólogo ateu que me ajuda a entender mais sobre os ditos "bárbaros", embora com o efeito-colateral de odiar Roma, o que posso fazer? Tenho que escolher uma vertente histórica como disse Bóris Fausto. De estadunidense, admiro Carl Sagan, pelo conhecimento astronômico e histórico que ostentava.

Também admiro Lord Nelson, almirante britânico que derrotou Napoleão, mesmo morrendo. Aconteceu como na lenda árabe, que o brasileiro Malba Tahan relembra, em que o rei perde o príncipe e, em função disso, ganha a batalha. Lord Nelson morto inspirou suas tropas a vencerem Napoleão, assim como naquele filme "Harry Potter e a pedra filosofal" em que a rainha é sacrificada abrindo caminho para o xeque-mate do bispo.

Dentre os precursores dos franceses, admiro, através do personagem Asterix de Uderso e Gosciny, Vercingetórix, por derrotar César em campo aberto, ser um grande líder e pela reforma escrita que promoveu entre os celtas da antiga Gália. Pena que sua cabeça foi cortada também. É outra figura que gostaria de conhecer pessoalmente, ou ser um de seus soldados quando todos os celtas marcharam juntos para atacar Roma, sob o seu comando.

Se carecemos de heróis, eis aí os meus. Outros são: Aristarco de Samos, Copérnico, Ptolomeu e talvez o maior em sua época, Arquimedes, um inventor grego fenomenal, talvez inspirado no oriente, que provou a eficiência de seu raio-da-morte, criara a balança e, talvez, o mecanismo de anticífera, um instrumento esotérico que calculava o local de estada de alguns astros no universo no tempo passado, presente e futuro, cria também o primeiro relógio-cuco do mundo. Sem falar nos chineses como inventores ainda melhores que Arquimedes.

Nenhum pensador foi ou será livre. Voltaire e Marx eram expulsos por onde passavam. Kant, Rousseau, Locke, Galileu, Da Vince, Empédocles, Eratóstenes, Confúcio e outros nem lembraram dos escravos, como se eles fossem seres subumanos. Ipárcia, Jordano Bruno, Lavoisier (a ciência em pessoa) e outros que ousaram pensar de fato foram assassinados pelo poder.

Enforcaram a mãe de Kepler, não reconheceram Galileu por 600 anos após sua morte. Os intelectuais do Brasil, como os padeiros, por muito tempo foram e ainda são esquecidos e as idéias de Epicuro ainda hoje não foram compreendidas.

A humanidade é cega e está presa, mas saber disso não nos liberta. Pelo contrário, a coleira só aperta e coça, mas é inquebrável. Somos escravos dos nossos próprios pensamentos torpes. Mesmo acorrentado na caverna de Platão, sem um Neo de "Matrix" para travar uma trégua entre homens e máquinas, o que Taylor jamais aceitaria. Sem a espada de Arsène, só me resta ser questionador.

Questionar é a única liberdade neste mundo. O que ainda não é ser livre, pois liberdade, de fato, no sentido stricto sensu da palavra, não existe.

Posso discordar de Kant, do big-bang, dos multiversos de Stephen Holking, da metafísica de Einstein, do buraco-de-minhoca e de outros mitos da ciência, filosofia e religião, sendo mais radical até, quem sabe, que os iluministas, que Lévi-Strauss, Freud, Nietzsche  Deleuze, Sânzio de Azevedo e Leonardo Boff, mas nunca passarei de um pensador acorrentado.

Sou escravo da razão, rumino idéias como os animais que digerem mal a comida. Procurar a Verdade é tatear no escuro, é um vício incontrolável e destrutivo. Nunca se encontra o que se gosta ou quer, mas a sua curiosidade não o permite parar.

A razão é o alcoolismo das minhas sinapses.  Se parar duma vez eu morro. Entretanto, gostaria de abandoná-la ao deus-dará pra não negar todas as minhas convicções como sempre ocorre.

A razão é um porre do qual nunca se seca o copo do saber e a curiosidade é a maldita vontade que te escraviza. Ser um questionador como eu é estar preso à verdade, ora é emocionante, ora profundamente enfadonho.

Por que Não posso abandonar a razão em um canto e cortar essas correntes, pelo menos as racionais, já que todas é impossível e elas apertam mais que as outras?

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI/
PRESIDENTE DO JORNAL DELFOS-CE

AVE DE RAPINA



AVE DE RAPINA

-Quem dera ser
-Na aurora mais soturna
-Um voo de eufemismo 
-Ave de outra era

-Gavião branco a caçar
-Falcão peregrino do ar
-Coruja negra mais noturna
-Fera à solta sem bando

- Rapinar a Baviera
-Sentir o infindo azul nas asas
-No céu estar em casa
-Longos sonhos de menino

-Para a primavera florescer
-Sem mero medo de quimera

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
PRESIDENTE DO JORNAL DELFOS-CE
15/11/2012

ASAS AZUIS

ASAS AZUIS

-Azul 
-Cara cor de querelas
-O blue dos olhos dela
-Lápis lazule dos senhores

-Esplendor de mil bandeiras
-Orgulho de países e hinos
-Tua simples existência
-Faz feliz hirtos ferinos 

-Do céu ao ultramarino
-Quantos por ti morreram?
-Continuas nas safiras
-Diamantes que esmeram

-Dos colibris mais belos
-Às mais raras flores

ATEU POETA
HISTORIADOR/
 PRESIDENTE DO JORNAL DELFOS-CE
14/11/2012

SINFONIA MAGNÉTICA


SINFONIA MAGNÉTICA

 Poesia é tua boca
O teu seio, maresia
Teus esses, a essência do esplendor e fantasia
Em meus sonhos, surreal
Ao me ver, tão fugidia
Mas teus olhos me atraem, magnética sinfonia
Teu corpo é violino de natural maestria
A natureza te fez para minha doce agonia
Poeira-cósmica de galáxias, És espectro do desejo
O universo por teu beijo, musa de cristal
Partículas químicas, em milhões de anos, talvez
Deram-te vida em formas sinuosas sem igual
Tempestade-nebulosa, és canção do meu dia
Limiar universal de tudo em que há sentido
Pois sem ti apenas o vazio é sentido
Pelo próprio lirismo extasiado em tua figura enigmática
Menina supernova, és a diáfana explosão da maiêutica
Cataclisma da lógica pura que me guia
Ebulição dos vulcões no sistema límbico
Pane no esquema dos corações
Nenhuma eqüacão decifra teus filamentos neurais
Corrente de pensamento ao poema te traz
Quais os critérios para a tua real conquista?
Dê-me uma pista para o que te abrasas o ser!
O amante que te abraça eu queria ser
Mas não sei se poderei te conhecer
Nada mais sinto, sou sintagma a fenecer

ATEU POETA
HISTORIADOR/
Blogueiro/professor/poeta/jornalista Independente

domingo, 11 de novembro de 2012

TV TRIDENTE: A 1ª TV ATEÍSTA DO BRASIL



SAIBA MAIS:

Bem, se hoje o mundo não acabar (11/11/2012), amanhã (12/12/2012), a TV TRIDENTE ENTRA NO AR.

ATEU POETA
HISTORIADOR
11/11/2012







quinta-feira, 8 de novembro de 2012

FUNK

FUNK

O que é importante não é charme nem funk
Ou dançar bonito
Mas prender o traficante
Segurança e saúde da favela ao asfalto

É preciso ficha limpa
Da câmara ao planalto
Política não acontece a cada quatro anos
Mas o tempo todo

Por debaixo dos panos
É preciso cortar a reeleição
Dependência partidária e voto de legenda
Fazer a diferença é muito relevante

Tire a venda e seja a revolução
O Brasil não está à venda, lute por educação

ATEU POETA
HISTORIADOR/
JORNALISTA INDEPENDENTE/
POETA/
PROFESSOR/
BLOGUEIRO
08/11/2012

LÂMINA



LÂMINA

-Sara um golpe 
-Outro mais forte virá
-A resposta deverá equivaler 
-O prenúncio da morte é viver

-Todo samurai cai um dia
-Mas nunca se rende
-A vitória vale mais que a dor
-A glória é filha da guerra

-É fria a lâmina que se herda
-Vermelha no caus da jornada
-A paz é ilusão consagrada
-O instinto da navalha é o corte

-O calor da batalha é seu norte
-Eu sou o brilho da espada

Ateu Poeta
07/11/2012

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

ODE A SOPHIA



Ode a Sophia

I

Tão pequena pétala de rosa

Há de brilhar algum dia

No calabouço da ignorância

Quebrando correntes e grilhões

Saindo ao sol feito rainha

Dançando desnuda

Como fora concebida

Entre homens e fantasmas

Eternamente

II

Mas enquanto estás em cárcere

Divido contigo tua pena

E preso na escuridão te enxergo em partes

Escravo de minhas próprias limitações

Recito textos antigos para te acordar

Meditando nossa distância

Em meu coração

Eternamente

III

Extenuado por gritos alheios

Da multidão que não te entende

Acusam-me de bruxo

Por tua companhia

Mas me nego a te abandonar

Deixo a fogueira do mundo me queimar

Eternamente

IV

Do meu desejo faço tuas roupas

Quando deveria te ter nua em meu leito

De minhas lágrimas faço teu caminho

Caminho inútil dado o tamanho de nossa prisão

E de mim mesmo faço a água e pão

Que mata minha cede e fome

Mesmo sabendo eu que

Tu deverias me alimentar

Eternamente


Rogerio Murdoc, 7 de novembro de 2012.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

PRA QUEM CURTE ROCK





ORAÇÃO DO ROCK



Rock nosso que estais na veia

Muito escutado seja vosso solo

Venha a nós o refrão inteiro

Seja feito barulho a vontade

Assim em casa como nos shows

Musica boa de cada dia nos daí hoje

Perdoai nossas loucuras

Assim como perdoamos os pagodeiros e sertanejos

Com aquelas músicas horríveis

Não nos deixeis cair em funk carioca

E livrai-nos do axé



AMÉM


Curtam no FACEBOOK